A concessionária Águas de Penha apresentou quinta-feira (21) para a diretoria do DEL (Programa de Desenvolvimento Local) as principais medidas da companhia para reduzir os impactos do aumento do consumo de água no verão, enquanto a cidade não tiver um sistema próprio de abastecimento. A reunião foi realizada na Sala do Empreendedor e contou com a presença de representantes do DEL e Associação Empresarial de Penha (Acipen). As medidas anunciadas pela empresa foram elogiadas pelos participantes, que destacaram o esforço da concessionária em apresentar soluções ao desabastecimento e atender reivindicações apresentadas pela entidade, pouco depois que o município apresentou uma crise hídrica no verão passado.

Na reunião, Fernanda Barreto, gestora operacional da Águas de Penha, apresentou o conjunto de melhorias operacionais que buscam atenuar, de forma preventiva, os efeitos do aumento do consumo de água tratada no verão. Entre as ações anunciadas estão a perfuração e ativação de quatro poços artesianos e a construção de um reservatório de 2 milhões de litros de água.

Conforme Fernanda, a construção do reservatório é uma das etapas da ação global da concessionária que visa realizar mudanças significativas no abastecimento e armazenamento de água em Penha. Juntamente com o novo reservatório estão sendo realizadas obras de melhorias no sistema de distribuição, incluindo a instalação de oito boosters e três quilômetros de reforço de rede. O booster é um equipamento que aumenta a pressão e vazão da água, especialmente em áreas altas. As obras também compreendem a impermeabilização e recuperação estrutural dos quatro reservatórios da cidade.

Setorização

Outra melhoria realizada para amenizar os efeitos da temporada de verão foi a instalação de equipamentos de manobra que vai assegurar que as residências sejam abastecidas sazonalmente em horários pré-estabelecidos. Desta forma, os efeitos da falta de água para os imóveis que possuírem a reservação adequada serão menores. O volume reservado sugerido pela Águas de Penha para uso doméstico é de 1 mil litros para uma família de até 4 pessoas, por exemplo.

Gilberto Manzoni, da Associação de Moradores da Praia Grande, uma das regiões que mais sofreu com o desabastecimento em janeiro deste ano, explica que viu avanços no sistema de abastecimento de água, conforme a apresentação.  Segundo ele, a construção de um novo reservatório e a ativação do poço de grande profundidade da praia são muito importantes. “A gente encara estas ações como altamente positivas. Reconhecemos este avanço, entendemos que são medidas mitigadoras e que demonstraram uma boa vontade da concessionária”, completou Gilberto.